03/10/2018

Bonito e Pantanal – O que levar na mala

Bonito é um lugar para estar sem agonia. É contemplação, admiração, preenchimento, respiro. Ao pisar ali, deixei o mundo fora e entrei só com a alma. Foram sete dias de aproveitamento absoluto da natureza em seu estado bruto.

Uma das coisas que adorei por lá é o fato de ser um lugar pequeno – dá para fazer tudo a pé no centrinho -, e é ao mesmo tempo relax e descontraído, porém, com bons restaurantes e lojas, alguns até chiques, diferente do que todos que não foram imaginam. O meu “eu perua” interior se sentiu em casa.

Neste primeiro texto sobre a viagem, apresento os looks que funcionaram bem e mantiveram conforto e elegância aliados. Considero que mesmo sendo um destino sossegado, no qual você praticamente passa o dia todo com roupa de banho, não é cool deixar o desleixo imperar. Pelo contrário, nestes casos até acho que se vestir bem funciona como contraponto de respeito e celebração à majestade do lugar. Aqui, o easy chic cai como uma luva!

Eu levei somente roupas de “acervo pessoal” (ou seja, minhas mesmo! risos). Apenas um maiô já era antigo, os demais foram comprados para a viagem e eram os únicos itens novos. Todos os outros já fazem parte do meu armário há tempos. Adoro o exercício de repensar maneiras de usar o que já tenho!

Em resumo, foi uma exploração em grande estilo! Venha ver:

 

Maiô da Farm na Boca da Onça

Não hesito em dizer que a Boca da Onça foi das coisas mais lindas que já vi na vida. O caminho até lá se baseia em 40 minutos de estrada até a entrada da fazenda e depois caminhada e escadaria até o pé da maior cachoeira do Mato Grosso do Sul. Difícil precisar quanto tempo leva este segundo período da ida, pois cada um faz no seu ritmo. Apenas oriento não ir rápido para deixar para perder o ar lá, pois com certeza isto irá acontecer quando você vir isto aqui 

 

Cachoeira Boca da Onça

 

Eu vestia um maiô amarelo com estampa de flores e borboletas da Farm, bem rico em detalhes, com ótimo caimento e cores que vibram, como tudo em Bonito. Os óculos escuros redondos também são da Farm e vêm com diferentes lentes para você trocar de acordo com o look. Escolhi azuis para ornar com a borboleta do maiô.

Na ida e na volta, usei tênis e shorts jeans antigos da Zimpy. A lavagem desbotada, o comprimento curto e os pequenos rasgos da peça dão o ar descontraído, enquanto o couro dos bolsos traz sofisticação. É o tal do easy chic: facilmente, você está arrumada com pequenos toques sem gastar tempo se arrumando. E achei que a lavagem dos shorts caiu bem com o maiô.

 

 

Com o mesmo look e brilho nos olhos, neste dia conheci ainda a Prainha e o Buraco dos Macacos, que também ficam na Fazenda Boca da Onça.

 

Prainha da Fazenda Boca da Onça

 

Buraco dos Macacos na Fazenda Boca da Onça

 

Uma informação de alto valor é que os calçados recomendados para os passeios de Bonito são sempre tênis ou papete. Eu optei por tênis, pois não tinha papete e queria guardar dinheiro para gastar lá.

 

Biquíni Farm pra arrasar na Nascente Azul

 

No segundo dia, escolhi vestir biquíni para fazer a flutuação na Nascente AzulEm Bonito, como há tirolesas nos balneários e muitas trilhas e cachoeiras em todos os passeios, maiô sem decote na frente é sempre o ideal, pois propicia curtir sem preocupações de acabar “mostrar demais”. O ar de modernidade fica nos decotes atrás, que não ameaçam tirar nada do seu conforto.

Porém, como as flutuações são feitas com roupas de mergulho de neoprene nada que está por baixo sai do lugar.

Este biquíni também é da Farm.

Eu comecei a procurar roupa de banho para esta viagem semanas antes de embarcar. Visitei muitas lojas, experimentei muitos maiôs e biquínis e não consegui nada que despertasse paixão e ficasse bem em mim. Embora eu seja magra, biquíni com calcinha de amarrar deixa o meu corpo feio, não uso há anos. Ainda assim, fiz várias tentativas com modelos que encontrei em lojas com preços mais em conta, como a Renner e o off da Maria Filó. Realmente, não rolou.  Na Farm, quando a vendedora me mostrou este modelo, já sabia que seria sucesso. O top tem shape atlético, que gosto muito, pois representa o meu estilo de vida, o conjunto não é pequeno e nem vovó, é fashion, é confortável e tcharan… a calcinha não amarra!

Se não gostar de maiô, este é o modelo de biquíni que mais conversa com o passeio, uma vez que há cascata (foto), tirolesa e pêndulo humano. Duas peças de cortininha correm o risco de sair do lugar e acabar mostrando demais.

Cascata Nascente Azul em Bonito

 

Pro Parque Ecológico Rio Formoso, My Place

O único dia que usei um maiô que já tinha e até já está bem conhecido no blog (rs), pelo motivo de: praticidade. Como ia fazer boia cross, queria ir de maiô mesmo e este eu já conhecia o conforto que proporciona e gosto de como ele deixa o meu corpo desenhado (sempre usando a moda para somar e empoderar. Mesmo se for tendência, mas não gostar e não vestir bem, não use).

 

Parque Ecológico Rio Formoso

 

Já tem mais de um ano que eu o tenho, ele é da linha moda praia da My Place.

No Parque Ecológico, a 7km do Centro de Bonito, tem stand-up, caiaque e tirolesa. O preço da entrada inclui tudo, sem restrição. Paguei R$100 com o boia-cross, que dura em torno de 40 minutos e tem sete quedas. É feito com dois guias, o Vinícius e o José, que são hiper simpáticos e competentes.

Fiz todas as atividades citadas, mas só tirei foto na minha preferida: bebendo cerveja e relaxando.

 

Pantanal: Oh, Boy!

Conhecer o Pantanal estava nos meus planos como uma outra viagem em um outro ano, apenas para este destino, onde ficaria mais dias do que o bate-volta que aconteceu – de Bonito até a Fazenda San Francisco, são 3 horas de van. O horário de saída do hotel é às 5h.

A nossa escolha para este dia era o mergulho na Lagoa Misteriosa, mas bem na véspera ela foi fechada pois apareceram algas. Para quem não sabe, este é o único passeio de Bonito que é sazonal. Ele fecha em uma determinada época do ano em função da reprodução de algas, que apareceram bem na véspera de eu ir.

Acabei “cedendo” beeem feliz ao Pantanal. Na hora da troca, o agente de turismo recomendou que fosse com roupas brancas e compridas para não atrair mosquitos, o que eu não tinha na mala. E a grana estava apertada para eu pensar em comprar algo para vestir. O que eu fiz? Coloquei uma camiseta que tapasse os ombros e costas e me enchi de repelente.

 

Harmonizando com a arara Canindé na Fazenda San Francisco – Pantanal

 

Porém, o calor era tãão grande, que tirei a camiseta e fiquei só de shorts, tênis e maiô mesmo. Mosquitos? Não senti nenhum! Ufa! Fiquei fresca, livre and estilosa.

E foi de maiô com estampa bem pantaneira da Oh, Boy! com decote nas costas, bem justinho, para deixar os seios sempre no lugar (comprei este maiô pensando na viagem, mas também na utilidade que terá depois nas minhas corridas na areia com banho de mar no final), shorts curtos e fashion e óculos redondos com as lentes pretas que assisti simplesmente abestalhada à beleza daquele lugar!

 

 

No safari de dia, conseguimos o milagre de ver uma jaguatirica descansando na árvore, esta coisa linda e fotogênica, além de araras, papagaios – que inclusive, sem eu nem ver, tomou o meu suco de limão – tucanos, tamanduás-bandeira, emas, capivaras, jacarés, garças, Tuiuiú (o símbolo de Bonito e Pantanal) e juçanas.

 

 

À tarde, teve passeio de chalana pelo rio da fazenda.

 

Passeio de chalana pelo Rio Miranda, no Pantanal

 

A pérola de sabedoria aqui é: use o que tem, mas vá! Tudo dá certo no final! Rs

 

Estilo e versatilidade na Casa do João

Este restaurante também poderia ser chamado de “superação”, dado o atendimento que melhora a cada ida. Para mim, é o melhor de Bonito. Comida regional maravilhosa e atendimento impecável. O lugar que faz você se sentir bem-vindo.

Então, faça #bonito e capriche no look!

Escolhi shorts da Loja 3, cintura alta e desfiado nas barras, que é tão versátil e fácil de usar que para mim é básico. A camiseta é de coleção antiga da Farm, com sutiã preto da Loungerie por baixo (novo, comprado este mês). Não é sutiã do tipo top, rendado, para usar com blusa cavada. É um sutiã comum, mas eu ando com a minha liberdade tão aflorada que não me importo de um cidadão mais atento ver a minha lingerie.

 

Em frente ao Restaurante Casa do João

 

Agora, a estrela do look é o colete de crochê, feito pela minha madrasta e já conhecido do blog também. Além de acreditar muito na preciosidade de uma peça feita à mão e com afeto, o colete é a cara do lugar, um detalhe impecável.  

Os tênis são da Via Mia e você pode amarrar normalmente, mas pode amarrar atrás também. Então vamos passar informação de estilo amarrando atrás, não é mesmo?

 

Allegra: Um café de revista, pede um look de revista

 

Sabe café de revista? Temos! Mas vou falar mais sobre ele (e sobre todos os lugares gastronômicos que visitei) na segunda parte dos posts de Bonito.

 

 

Adquiri este vestido floral da Farm em julho para ir ao Rio Craft Beer, no Rio de Janeiro, um evento promovido pela Acerva Rio, e não tinha usado mais. Estava bem quente no Rio em julho, assim como em Bonito neste dia, e o vestido tem uma pegada contemporânea que quis confirmar com o chapéu. Em dias mais frescos ou que pede um pouco de decoro, é só colocar um blazer que fica muito Megan Markel. Eu a-mo!


Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,


Posts relacionados:

Dê um descanso para os seus pés: aposte em looks de trabalho com seu tênis de academia

Vocês têm um look clássico de trabalho? O meu geralmente é arrumadinho despojado, casando o dress code definido da empresa com o meu próprio estilo. Mas SEMPRE é confortável – nada aperta, pinica, incomoda… aliás, na vida, porque não sou obrigada!

Riogastronomia 2018

Teve evento cheio de bossa este final de semana! O Riogastronomia, maior projeto gastronômico do Brasil, apimentou o Píer Mauá com a sua oitava edição.

Tendência cowboy: o inverno será um verdadeiro duelo de bangue-bangue

Bem-vindo, Inverno! ❄ Hoje, às 7h07, foi dada a largada para os looks invernais! O mood western vai dominar a estação, em versões minimalistas, como a minha (o ponto está na bota com calça gaúcho – ajustada na cintura e ampla nas pernas – e top sequinho), ou em versões mais glamourosas, com direito a camisas westerns […]

Uma resposta para “Bonito e Pantanal – O que levar na mala”

  1. Beth disse:

    Amei a matéria e agradeço fazer parte deste lindo passeio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *