30/07/2018

A importância do batom: mulheres poderosas falam sobre a sua relação com este ícone da beleza

O batom é comemorado mundialmente no dia 29/07 com uma data só para ele. Nenhum outro item de maquiagem tem um dia para chamar de seu. Mas o que faz o batom ter tanta importância? 

As mulheres tiveram que enfrentar muito preconceito para poder exibir os lábios pintados. Como mostrei em post especial pelo Dia do Batom (se perdeu, leia aqui), o cosmético chegou a ser proibido pelo Parlamento inglês em 1770, com a alegação de que era uma arma de sedução para enganar e manipular os homens. Talvez os homens se sentissem atraídos pelas mulheres confiantes que usavam batom…

Enfim, hoje ele não é apenas permitido, como adorado e item indispensável na bolsa da mulher, tanto que a 2.55 (Chanel) tem um compartimento só para guardá-lo.

É puro empoderamento, autoestima e confiança via boca.

Para comemorar a data à altura de sua importância, mulheres poderosas e de bem com elas mesmas falaram ao Malte & Esmalte sobre a relação delas com o batom.

Venha pro baile:

 

 Luiza Souza – Editora de beleza da Vogue Brasil:

 

Foto: Joana Luz

 

“Sou viciada em balms ou batom, sempre preciso estar com a boca hidratada e de preferência colorida! Até para treinar passo o Chubby, da Clinique, que dá um up! Batom pode mudar nosso humor instantaneamente. Minhas bolsas vivem cheias deles, no fim da semana tem uns sete ou oito que vão acumulando”.

 

Olívia Nicoletti – Editora de beleza da Marie Claire:

“Eu amo usar batom! Teve uma época da minha vida que eu não saia de casa sem o Ruby Woo, da M.A.C. Acredito muito nesse poder de levantar o look – e a autoestima – quando usamos um batom bem poderoso, principalmente vermelhos. É meio assim que me sinto. Mas, ultimamente, tenho me divertido bastante com batom… Testado novas cores, experimentado texturas e tal. Acho que essa é a vertente da maquiagem que eu mais amo: a possibilidade de sair um pouco da “correção” e usar como algo divertido”.

 

 

Giovana Romani – Editora Sênior da Glamour Brasil:

 

 

“Eu não sou muito a pessoa do batom. Sempre fui do cor de boca, daí o fato do Hug Me, da MAC, ser o meu queridinho. Isso mudou este ano por dois motivos: 1) minha amiga Juliana Bordin, que é stylist, falou que eu devia mudar a forma como eu me maquiava, pois me envelhecia (muita base, muita sombra, pouco batom), 2) eu fiz preenchimento labial e passei a amar minha boca. As pessoas falam pouco quando fazem procedimentos estéticos assim, né?

Bom, para mim foi ótimo, moderado, chiquérrimo para a autoestima. Tanto que o vermelho Ruby Woo passou a ser meu preferido. No dia a dia uso dando batidinhas e, às vezes, arraso no bocão. Sempre por cima de um bom lip balm (isso sim um vício).”

 

Amanda Aguiar – Dona do brechó Black Flamingo:

 

 

“A verdade é que eu sou fascinada por batom desde que me entendo por gente. Na infância eu tinha um batom favorito, que era um roxo (muito feio por sinal haha). Usava no dia a dia, na escola, enfim, a todo momento.

E esse fascínio não saiu de mim até hoje. Não consigo sair sem um colorido na boca. E às vezes quando tô me sentindo meio feinha, trato logo de passar um batom vermelhão, nem que seja pra ficar em casa mesmo. É instantâneo como me sinto logo bem comigo mesma. Parece doideira, mas juro que é verdade”.

 

Bete Nogueira – Jornalista e leitora do M&E:

 

“Batom pra mim representa um reflexo do que eu sinto: a vibração do vermelho, a elegância do nudes, a feminilidade do rosa, o purple mais rock! E todas as cores são válidas, porque quero ser muitas, além de saber que um sorriso de batom, né? É o poder!”

 

Emilly Campos – Maquiadora e leitora do M&E:

 

 

Acredito que o potencial de uma make bem feita levanta o astral, posso estar com nada,  mas amo uma boca marcada seja com um simples tom nude ou um marrom estilo aquele que te dá segurança e faz com que todos olhem apenas para sua boca. O batom, seja o mais simples para uns, pode ser o potencial de outras pessoas”.

 

Lorrayne Sardinha – Bióloga e leitora do M&E:

Usar batom é mais que uma expressão da vaidade, na verdade é a expressão da personalidade, que acaba revelando mais confiança e autoestima. Acho que tons nudes e terrosos combinam mais comigo e harmonizam mais com meu rosto e por incrível que pareça me sinto confortável usando o mesmo batom todos os dias pela manhã, acho que isso demonstra o quanto ‘rotineira’ eu sou. Deixar a boca mais desenhada me agrada muito e esse também é um dos motivos que me faz usar batom sempre. Porém, usar o mesmo batom todos os dias não significa que eu não tenha uma coleção rs #loucasporbatom”

 

 

Ana Marques – Maquiadora profissional parceira do M&E:

 

 

“Eu gosto de batom porque gosto de ver meus lábios coloridos, principalmente na cor vermelha. Acredito que essa cor traz um ar de sensualidade e feminilidade, o que eu curto bastante. Na hora de sair ele dá um toque de glamour, me sinto mais bonita e atraente, o batom acaba ocupando quase que um papel de acessório no look, tipo um brinco (risos). E por falar em brinco, eu saio sem brinco, mas não saio sem batom”.


Tags: , ,


Posts relacionados:

29 de julho é o dia do batom, este superpoderoso: de místico arsenal de sedução, ele passou a ser ferramenta de autoestima e confiança

Tem quem acredite que ele tem mesmo o poder de mudar vidas. 

Chá verde nos olhos dos outros é refresco: entenda as causas das bolsas ao redor dos olhos e saiba como remediá-las

O inchaço ao redor dos olhos acaba denunciando tudo o que bebemos neste feriado prolongado. As maxi bolsas, tão queridas nos nossos looks, deixam um ar pesado na nossa aparência quando estão abaixo dos olhos, resultado, entre outras coisas, do excesso de álcool. Pensando desta forma, seria algo evitável, correto? Mas para nós, cervejeiras, convenhamos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *